quarta-feira, 28 de junho de 2017

Comentário: Não Devore o meu Coração (Felipe Bragança, 2017)

O que eu mais gosto deste filme é a sua ambição. Quer ser grande, quer ir mais além. Parte de uma história surrada, a de Romeu e Julieta (adolescentes como os personagens de Shakespeare), cujas famílias se odeiam. Essa animosidade assume neste filme uma herança secular que opõe os brancos brasileios aos índios paraguayos na zona de fronteira entre o Brasil e o Paraguai. O filme fica aquém da sua ambição, mas sobram cenas impressionantes, como as passadas no rio ou na estrada entre os motoqueiros. Paris 3,5/5

terça-feira, 27 de junho de 2017

Comentário: Outro Sertão (Documentário, 2013)

Guimarães Rosa, antes de ser conhecido como (grande) escritor, foi diplomata em Hamburgo, Alemanha, durante alguns anos a partir de 1938. Escreveu muito sobre o que gostou e não gostou na Alemanha, mas com a guerra teve de sair do país, não sem antes ajudar muitos judeus a passar a fronteira. Outro Sertão, de Adriana Jacobsen e Soraia Vilela, encontra o tom justo, entre depoimentos, escritos do escritor e imagens de amadores da época para falar de tão fascinante assunto. Bom 3/5

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Comentário: Beatriz (Alberto Graça, 2015)

Para escrever contos para uma revista portuguesa e em seguida um romance para um editor espanhol, Marcelo (Sérgio Guizé), um jovem escritor, envolve a sua mulher (Marjorie Estiano) em jogos eróticos que são a fonte da sua inspiração. Filme interessante mas não inteiramente bem resolvido, com excelentes interpretações dos protagonistas (menos bons são os portugueses Beatriz Batarda e Luis Lucas). E Lisboa é filmada como uma cidade erótica como ainda não tinha visto antes. O spot mais erótico parece ser o eléctrico 28... Paris 3/5

domingo, 25 de junho de 2017

Comentário: Danado de Bom (Beby Brennand,,2016)

Danado de Bom. As Músicas e as Histórias de João Silva (2016). Documentário de Beby Brennand, é um excelente retrato de João Silva, prolífico músico de Pernambuco, um autêntico génio do nordeste, que escreveu cerca de 3000 canções. Paris 4/5

Comentário: Rogério Duarte, o Tropikaoslista (José Walter Lima, 2016)

Um bom retrato do tropicalista Rogério Duarte, de que conhecia pouca coisa (as capas de discos que ele desenhou e/ou concebeu). Paris 3/5

Comentário: Era o Hotel Cambridge (Eliane Caffé, 2016)

Um prédio de São Paulo ocupado por brasileiros e estrangeiros sem teto; estes lutam contra a ordem de despejo recentemente estabelecida pela justiça. Um filme muito original, por vezes sublime (aquela senhora a cantar uma ranchera através do Sype...), muitas vezes surpreendente. Descobri uma excelente realizadora. Paris 3,5/5

Cartaz internacional: Era o Hotel Cambridge (Eliane Caffé, 2016)